Refletores de LED são perfeitos para iluminar áreas externas: jardins, piscinas, entradas de condomínio e também a frente do seu comércio.

No entanto, para escolher o refletor de LED que melhor atende às suas necessidades, é preciso conhecer alguns detalhes e características antes.

Por isso, criamos um guia para ajudá-lo. Confira!

1. Escolhendo a potência

Existem refletores de LED desde 10 até mais de 1000 watts de potência. Escolher o modelo adequado, para quem não trabalha usualmente com isso, pode ser um desafio.

Basicamente, os modelos de 10 watts, que produzem aproximadamente 600-700 lúmens de fluxo luminoso, são adequados para pequenas aplicações, como iluminação de um jardim de até 10m² ou para efeitos localizados em plantas.

O modelo de 50 watts é um dos mais populares. Eles rendem mais de 3000 lúmens e podem substituir refletores halógenos antigos de 400 ou 500 watts. São indicados para as mais diversas aplicações, como jardins maiores, condomínios e iluminação de árvores grandes.

Se houver necessidade de maior fluxo luminoso, como em estacionamentos ou espaços condominiais com mesas e cadeiras, os refletores de 100 ou 200 watts são os mais indicados.

Acima de 300 watts, as aplicações são mais técnicas, sendo necessário o uso de postes e normalmente algum tipo de cálculo luminotécnico.

 

2. Como escolher a cor da luz

Basicamente, os refletores de LED de luz branca se dividem em dois grupos: os refletores com luz branca fria (acima de 6000K), que transmitem uma maior sensação de iluminação, e os refletores de luz branca quente (abaixo de 3000K), que produzem um fluxo luminoso mais amarelado, com um aspecto mais confortável e relaxante.

O modelo de luz branca fria é o mais vendido, pois os consumidores normalmente preferem a luminosidade mais clara e intensa que ele produz. Essa característica é até adequada para muitas aplicações, como iluminação de quadras esportivas e estacionamentos, por exemplo.

Mas não é uma regra. Em alguns locais, o uso de refletores de luz amarelada (3000K) é mais aconchegante, podendo ser usado em espaços condominiais internos, algumas fachadas comerciais e até mesmo em jardins.

Além da luz branca, os refletores de LED têm opções de luzes coloridas, como vermelho, azul, verde e amarelo. Especialmente a luz verde é muito usada para realçar áreas com grama e plantas, reforçando a tonalidade natural. 

 

3. Preciso modalidade RGB ou Sensor de Presença?

Os refletores LED tradicionais emitem apenas uma cor, quer seja branca ou colorida. Mas para muitas aplicações, a variação da cor emitida é imprescindível, por exemplo, para efeitos em jardins ou iluminação de eventos. 

Os refletores LED, por sua natureza eletrônica, supriram muito bem essa lacuna, existindo hoje modelos automáticos ou com controle remoto, que emitem uma ampla tonalidade de cores, percorrendo todo o espectro. 

Além dos modelos RGB Coloridos, os refletores também ganharam um acessório com objetivo de auxiliar o monitoramento de espaços e reduzir o consumo de energia, que são os sensores de presença.

Hoje em dia, existem refletores LED com sensores de presença embutidos, muito usados por exemplo na entrada de garagens ou locais de passagem de pedestres, em que o acionamento do produto ocorre apenas quando há detecção do movimento, aumentando a segurança e reduzindo o consumo de energia.

 

4. Refletores LED são todos iguais?

Existe uma variabilidade muito grande de qualidade nos produtos de iluminação LED no mercado brasileiro. Com os refletores, não é diferente. Se você é um usuário, já deve ter percebido que os produtos de baixo custo / baixa qualidade que inundam o mercado possuem vida útil muito curta, começando a piscar ou aquecer muitas vezes com apenas 1 semana de uso.

Além da baixa durabilidade dos refletores genéricos, sua eficiência também é sofrível. Significa que eles gastam a mesma energia de um refletor de qualidade, mas produzem geralmente menos da metade da iluminação propriamente dita.

Alguns sinais iniciais preocupantes são, por exemplo, o fio de ligação extremamente fino, o peso do produto muito inferior ao normal e a resistência do braço de suporte e das aletas de dissipação muito baixas.

Depois de ligados, os refletores de baixa qualidade apresentam uma luminosidade inferior, com uma luz mais azulada que o normal, fazendo com que o ambiente fique pálido, com cores pouco definidas.

Para evitar dores de cabeça e ter que conviver com produtos de péssimo desempenho, preste atenção no momento da compra se o produto tem alguma marca reconhecida, adquira de lojas físicas especializadas, ou se for online, consulte no site ReclameAqui a reputação da loja.

 

5. E as especificações, para que servem?

Nos produtos de fabricantes tradicionais, como Philips, Golden ou Ledsafe, entre outros, as especificações técnicas auxiliam muito, tanto na compra, quanto na aplicação.

Mas nas especificações, novamente os produtos genéricos causam enorme problema. Todos citam especificações técnicas muito acima do real.

Por exemplo, resistência à chuva nível IP66 é uma característica muito encontrada nas embalagens dos refletores genéricos de baixa qualidade, sendo totalmente falsa. Eles apresentam péssima resistência à umidade, não conseguindo nem atingir o grau IP65, que é o padrão dos produtos de qualidade.

A durabilidade em horas é outra especificação muito distorcida nos produtos informais. Bons refletores citam corretamente uma vida útil em torno de 25.000 ou 30.000 horas. Vê-se no mercado produtos de péssimo padrão, difusamente apontados com 50.000 horas de uso.

Desconfie de refletores genéricos rotulados com IP66, com vida média de 50.000 horas e uma quantidade estratosférica de lúmens. Fique ligado!

 

Agora que você já sabe tudo sobre refletor de LED, que tal começar as compras para o seu projeto? Encontre aqui os melhores modelos do mercado a ótimos preços!